24 de mai de 2017

Livros na estante- Livro de sonetos

Olá pessoal. Eu tenho que me desculpar por não estar postando, é que fiquei sem computador e estou fazendo essa postagem pelo computador do meu namorado. Maaas, eu estou fazendo, certo? É o que importa amores.
Essa postagem é sobre livros que tenho e estão guardados na estante.

Livro de Sonetos- Vinicius de Moraes

Esse livro é um conjunto de sonetos do Vinicius de Moraes. Ganhei da minha irmã e ainda não li ele inteiro. Mas pretendo ler ele logo, por se tratar de um livro de sonetos eu estou demorando mais para ler, apreciando cada verso dele. Assim que terminar eu faço uma resenha.
 E ai, dos que já li, separei dois que eu simplesmente amo e um terceiro que não esta no livro e nem é um soneto, mas quero colocar pois acho ele divino e profundo.

Soneto de Separação 
Resultado de imagem para vinicius de morais soneto de separação

Soneto de Fidelidade
Resultado de imagem para soneto de fidelidade

E agora o poema, ele é meio grande, mas é demais.

Poema Ausência 

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Espero que tenham gostado, espero voltar direitinho pro blog.

Ruana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai comentar? Ótimo. Mas temos algumas regras:
1- não fale palavrões, não ofenda ninguém
2- sempre deixe o link do seu blog para eu poder vê-lo
3- avise se estiver seguindo, talvez eu também goste do seu blog e siga
Obrigada por comentar!
E seja bem vindo ao Florescer